Matthew Stafford revela ambição por título ao trocar Lions pelos Rams

A troca de Matthew Stafford para o Los Angeles Rams pode ter aberto um mercado interessante na NFL. Semanas após a troca ter acontecido, o quarterback revelou o que motivou para a saída do Detroit Lions para a chegada na franquia da Califórnia.

— Eu pedi para ir a um time que estava pronto para ganhar um campeonato. E, você sabe, haviam alguns times nesta lista. No entanto, alguns times não estavam . E eles respeitaram isso e entenderam completamente. Eu tinha pensamentos e razões para cada um deles – afirmou Stafford.

Um dos times cogitados e que gostariam de contar com Stafford foi o New England Patriots. Só que o quarterback não gostaria de ir para a franquia muito pela dificuldade apresentada da equipe com um elenco com pouco brilho. Além disso, estar com Bill Belichick, um dos grandes inspiradores de Matt Patricia – ex-treinador de Detroit – não era um dos objetivos do camisa 9. O convívio com o seu ex-comandante foi um dos temas abordados na entrevista, mas o jogador fez questão de deixar claro a abertura e tranquilidade nas conversas entre os dois.

— Ele e eu tínhamos um bom relacionamento, não importa o que alguém queira dizer. Eu poderia entrar em seu escritório e falar com ele, ele poderia me telefonar sempre que precisasse. Acho que nós dois crescemos nessa relação. Tenho muito respeito por ele e por quem ele é, como treinador de futebol e uma mente inacreditável – disse Stafford.

A inesperada e bombástica troca entre Lions e Rams resultou na ida de Matthew Stafford para Los Angeles e Jared Goff para Detroit. A partir de 2021, a esperança é que o camisa 9 possa render bastante com um ataque potente e que possui boas armas enquanto a defesa foi uma das melhores dos últimos anos.

Ao longo de 12 temporadas, o elenco fraco nas duas frentes foi um dos grandes fatores que marcaram a passagem do quarterback. Mesmo assim, Stafford coleciona 45109 jardas e 282 touchdowns em 165 jogos da temporada regular, além de uma seleção para o Pro Bowl e um prêmio de Comeback Player of The Year, o jogador que deu a grande virada por cima.