Mattos garante que Felipão segue no Palmeiras e lamenta eliminação: ‘Libertadores estava na mão’

Em coletiva organizada nesta quinta-feira, o diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, garantiu que Luiz Felipe Scolari seguirá como treinador do clube.

De acordo com o cartola, “nunca passou pela cabeça” a saída de Felipão, mesmo após “muita especulação” depois da eliminação da Libertadores para o Grêmio, na última terça-feira.

“O Felipe é nosso treinador. Tem contrato conosco. Esses dias foram de muitas especulações, mas não passou pela cabeça de ninguém fazer alguma troca”, afirmou.

“O Felipe é o atual campeão brasileiro, teve um ano de invencibilidade (no Brasileiro), recorde atrás de recorde. Nós vamos prosseguir no que entendemos ser o melhor para o Palmeiras”, completou.

Mattos também se desculpou com os torcedores pela queda no torneio continental, e afirmou que a conquista da Libertadores deste ano estava “na mão”.

“Foi, sem dúvida alguma, a mais dura derrota que tive aqui no clube, a mais dolorosa de todas. […] Eu tinha o sonho, como todos aqui comigo, de buscar essa Libertadores. Acho que estava na mão. Erramos, óbvio. Temos que aprender com os erros. Mas passou”, salientou.

“Ontem foi um dia de luto. No vestiário, foi um absurdo a tristeza. A minha missão, desde que cheguei, é de resgatar a autoestima do palmeirense. Isso aconteceu em 2015 e 2016, quando quebramos vários tabus negativos, reestruturamos o clube, melhoramos as categorias de base. Não quer dizer que está tudo pronto, estamos sempre melhorando. Mas minha mobilização é ver o sorriso do palmeirense. Por isso, essa derrota doeu tanto na minha alma. Devo esse pedido de desculpas à torcida e vou trabalhar cada vez mais para melhorar o que precisa ser melhorado”, acrescentou.

Com Felipão no comando, o Palmeiras volta a campo no próximo domingo, contra o Flamengo, às 16h (de Brasília), pelo Campeonato Brasileiro.

Fonte: https://www.espn.com.br/futebol/artigo/_/id/6008184/mattos-garante-que-felipao-segue-no-palmeiras-e-lamenta-eliminacao-libertadores-estava-na-mao